domingo, 22 de abril de 2012

Sobre Alzheimer, mas mais que isso, sobre o casal que me faz acreditar em amor.

Milton & Shirlei
Um português orelhudo, segundo ela.
A mulher mais bonita do mundo, segundo ele, "minha baixinha".
Meus avós, avós paternos.
Pra mim nunca existiu pessoa melhor no mundo que meu avô, nunca existirá, na verdade e nem que me amasse mais.
Minha vó sempre foi uma espanholinha braba com todo mundo, menos comigo.
Lembro de quando eu ficava na casa dela e toda tarde ela me levava pra passear no bairro e lembro também de dormir no quarto do meu pai, com a cama quebrada porque meus primos e eu pulamos tanto nela que quebrou e todo mundo achou graça.
Eu tinha um barzinho da Barbie que eles me deram e passava as madrugadas com uma luminária laranja achando a vida um máximo!
Ela só me dava banho quando começava a músiquinha do Castelo Rátimbum, mesmo que não fosse necessariamente a
nós duas esperávamos o ratinho ir pra toca, pra só depois eu ir pro banho, aliás nessa casa (eles já tiveram muitas, muitas mesmo), tinham dois box, e um buraco de um box pro outro, igual o que o Jerry morava e lembro que ela pegava uma bacia de alumínio e me dava potes de shampoo pra brincar, sempre do meu lado e só me tirava quando eu estava toda enrugada, com a água fria e finalmente dizia que queria sair, com toda paciência do mundo.
Lembro também de quando nós estávamos na Chácara que meu vô tinha e ele ia nos levar na sorveteria, daí eu e o Rafa, m
eu primo, sempre queríamos ir no carro deles.
Aí nós entravamos pelo buraco do apoiador de braço no porta-malas e ficávamos lá, todos malandrinhos, todos rindinho, achando que estávamos deixando eles mortos de preocupação enquanto eles fingiam que não sabiam e "se desesperavam".
A sorveteria que eles nos levavam se chamava Jóia e ficava na frente de uma praça, o que era realmente jóia.
E olha como eu era a mimadinha dos vovós?
Os dois sempre me trataram como o bebê deles e ainda hoje me tratam.
Meu avô e minha avó sempre foram um casal que se amou, obviamente.
Eu tenho certeza mais que absoluta, pode cair um meteoro na minha cara agora, podem arrancar meu coração e me fazer comê-lo depois se um dia meu vô ou minha vó foram infiéis ou desleais um com o outro. Sério, que eu morra AGORA!
Sempre se cuidaram, sembre brincaram, sempre andaram de mãos dadas e todo mundo comentava em qualquer evento social, sobre como era lindo e fofinho ver os dois e como eles dançavam juntos, como se tivessem dançando a valsa do casamento, risonhos, gargalhando, todos com passinhos e todos brincalhões.
Esse dois, muito mais que a Disney ou que qualquer artificialidade dessas, me fizeram sempre acreditar que existe sim um amor da vida, uma alma gêmea ou seja como você queira chamar.
Você pode até ter um companheiro, ser feliz com ele e amá-lo, mas amor da vida só existe um, a diferença é que com o companheiro você tem sempre a opção de ir embora, com o amor da vida não, apenas porque não faria sentido abandonar um amor assim. E foi o que a existência do relacionamento deles que me fez e ainda me faz acreditar.
É difícil achar esse amor da vida, mas ele tiveram a INCRÍVEL felicidade - porque são pessoas que merecem também, né - de encontrar e viveram a vida mais feliz e apaixonada do mundo todo, bom, viveram não, ele ainda vive.
Não que minha vó tenha morrido, até porque se ela tivesse eu não estaria aqui escrevendo esse texto e sim morta também, né.
O que aconteceu, na verdade, é que há mais ou menos um cinco anos minha vó, minha espanholhinha linda, bravinha, dos olhos mais lindos e com a capacidade que só ela tinha de me fazer sentir especial e me mimar e amar tanto a vida toda, começou a desenvolver Alzheimer.
Lembro que logo que começou, eu passava a tarde com ela e com o Bielzinho que era bem bebêzinho na ocasião. No começo era a coisa mais triste do universo, ela inventava realidades paralelas onde achava que meu avô estava sendo desleal e outras coisas que faziam ela sofrer de verdade.
Eu conversava com ela todo dia, imprimia pesquisas, explicava o que estava acontecendo e ela ficava desesperada "EU NÃO ESTOU FICANDO LOUCA".
Mas isso era quando ela tinha ainda alguma consciência.
O tempo foi passando, meu avô levando ela em todos os médicos do universo, dando todos os remédios e fazendo todo o possível, mas a doença foi se agravando, porque infelizmente é assim que ela funciona, o tratamento só retarda um pouco mais os sintomas inevitáveis, ok. Chega da parte triste.
"Como assim, Ferdi, a história do Alzheimer da sua avó tem uma parte feliz?"
Tem, não só feliz como a coisa mais bonita do mundo.
Bem, hoje em dia a vó não responde sempre, aliás, quase nunca, precisa usar fralda e ser cuidada 24 horas por dia.
No estágio que ela está muita gente teria colocado ela numa dessas clínicas de "cuidados especiais", (especiais, aham), afinal de contas "ela nem ia saber". Só a possibilidade de um negócio desses ofende meu avô.
O que ele fez quando as coisas foram complicando?
Meu avô é chaveiro (que é uma das profissões que eu acho mais legais no universo, aliás) e ele tem esse chaveiro no mesmo lugar há uns 40 anos, então ele comrprou a casa de trás, fez uma interligação e contratou uma pessoa pra cuidar dela, mas de modos que ele possa de hora em hora ir ver como ela está e dar carinho e atenção.
E vocês acham que por um segundo ele lamenta ou parece triste? Meu avô é a pessoa mais alegre que eu conheço, essa foto da boneca, ali de cima, foi tirada hoje na hora do almoço, ele todo bobo fazendo graça pra ela. Aliás aquela boneca, pra minha vó é na verdade um menino, o bebê dela que ela cuida, ela leva pra lá e pra cá e meu vô entra na onda, brinca com o bebê também, chama de menino e tudo isso.
Ele está sempre rindo e contando as coisas tragicamente engraçadas que ela faz e fala.
Ele dá banho, troca as fraldas, dá comida na boca e ainda assim consegue se sentir apaixonado, não é só respeito e consideração. É amor mesmo. E como eu sei disso?
É só olhar pra cara dele:

27 comentários:

Anônimo disse...

Isso foi uma das coisas mais lindas que vi em muito tempo, Ferdi. Porque sabe, a vida é isso, é ser feliz.. Tudo de bom pra ti e sua família linda!

Anônimo disse...

Parabéns pro seu avô! Realmente nos da uma esperança para acreditar um pouco na humanidade, só pelo fato dele querer cuidar de sua mulher com as próprias mãos e não colocá-la em uma clínica, e de carregar a responsabilidade que ele dispôs-se quando disse na hora dos votos de casamento "na saúde e na doença"... e não livrar-se do "problema" como muitos fazem.
Eu particularmente não acredito muito nesse amor que as pessoas vivem e sim como você escreveu neste texto, isso é real, e o jeito que seu vô lida com isso é o verdadeiro amor.
Muito legal Ferdi!

Anônimo disse...

Lindos! Todos vocês!! Seu avô é um exemplo do que é HOMEM, e sua avó é uma querida! Eu não conheci meus avós, não sei muita coisa sobre eles, mas gosto de pensar que eles se amavam assim, como os seus...

Sarah W disse...

Essa história deixou meu coração mais que quentinho!! Quanto amor meudeeeus, quanta dedicação e carinho! Me emocionei DEMAIS e agradeço DEMAIS por ter escrito e compartilhado conosco, não tive contato com meus avôs e só tenho uma avó pq a outra nunca me teve como neta. Sonhei acordada com meu avô, imaginando se ele teria um amor tao grande assim pela minha vó se estivesse vivo. Sinto muita falta dele mesmo sem ter conhecido eee seu avô é um amor!
Todas as boas energias do mundo pra eles s2

Anônimo disse...

Achei lindo, serve de inspiração pra muita, muita, muita gente! Você escreve muito bem, e a história claro que ajuda.

Vera Márcia de Mendonça disse...

Realmente! O teu avô está aí pra ensinar a todos os que o cercam o que é o amor de fato. O amor íntegro porque está nele e é ele quem sente. Não espera retorno algum. Será que ele pode deixar de herança? Não esqueça de pleitear sua parte!
As fotos estão lindas!

Luks disse...

Nossa! Que lindo, que bom que as vezes as coisas por mais ke tenham tudo pra dar errado, dão certo :) mto bonito mesmo. Sei como essas coisas podem ser doloridas e mudam totalmente o ambiente familiar, perdi minha mãe recentemente e ainda e complicado lidar com isso. Espero que tudo de certo pra vc. Boa Sorte. *Li com lagrimas nos olhos*

Anônimo disse...

Ah, que lindo os dois serem assim, apesar da doença, seu avô continuar com todo esse amor por ela (: Alzheimer é realmente complicado, minha avó que ta com 82 anos, também tem, é complicado as vezes, por ela ficar sempre contando histórias do passado, e não saber o que está fazendo, confundir onde está, meio difícil, mas mesmo assim a gente ta lá apoiando e cuidando dela. Muito linda mesmo a história deles! (:

Anônimo disse...

depois de ler todo o texto... me deu uma vontade imensa de chorar.. por ver o amor deles.. e tambem por saber que os meus eram exatamente assim.. lindos.. num amor perfeito!! e adivinha rs eu tambem era a neta favorita rs
mas enfim
as coisas boas sempre ficam gracas a deus..
sinto muita falta.. mas a alegria de lembra-los me consome..
curta os seus lindos avos .. muito e muito.. sempre
te amo Verd.. fica com deus

Gens disse...

Sem palavras... Adorei!!!

Anônimo disse...

Não consegui conter as lágrimas, minha vó também tinha, e quando o dela chegou no estágio de vegetação, meu vô só saia do lado dela para comer, o amor deles era lindo, e ele fez tudo que podia por ela, e quando ela morreu meu vô entrou em depressão e menos de 6 meses depois ele faleceu, mas a saúde dele era, até então, perfeita.

Anônimo disse...

Realmente uma história linda. Seu avô dá todo o carinho pra ela, podemos ver no vídeo da boneca. Ela nem deu bola, coitadinho, mas ele continua sendo amoroso, isso é lindo!

Anônimo disse...

Realmente uma história linda. Seu avô dá todo o carinho pra ela, podemos ver no vídeo da boneca. Ela nem deu bola, coitadinho, mas ele continua sendo amoroso, isso é lindo!

Anônimo disse...

Eu não sei se o objetivo do texto era ser triste, mas eu não pude evitar de chorar na parte que fala da doença da sua avó. Tenho o mesmo pensamento em relação aos meus avós, duvido que eles já tenham sido infiéis e tenho certeza que vão se amar até o fim.

oberdan angelim disse...

Só tenho algum símbolo para definir o sentimento desse post: ":~~"

Andarilho disse...

Joinha pro seu avô.

Anônimo disse...

Isso Fê, se chama troca, amor pelo ser humano, e isso sabemos que existe entre eles, pois sabemos o quanto sua avó também se dedicou a ele, não só a ele, mas a toda familia, amor, carinho e afeto, sempre do jeitinho dela, ela soube dar! Essa historia seria muita mais bonita se estivessem todos compartilhando esse amor, porque achar bonito o que seu avô faz é maravilhoso, fazer o que ele faz é dificil, o exemplo é dado, cabe a cada um seguir!

life thoughts disse...

Olha ferdi, o seu texto é muito bonito de se ler... não tem como não valorizar o quanto seu avô ama sua avó. E quanto a doença , faz parte né ? O importante é que ela ta viva e está ao lado dele, afinal muitas pessoas com essa doença chegam a um ponto que não reconhecem ninguém, muitas surtam, etc.
Bem, eu até fico meio sem palavras quanto a essas coisas......... mas saiba que seu avô vale ouro >.<

Amanda, disse...

Realmente linda e emocionante essa história (até chorei). Tocou fundo. Seu avô é um grande exemplo de pessoa!
Amei.

Anônimo disse...

Que lindo, Ferdi!!! Seu avô é um exemplo pra muita gente por ai.. Que eles continuem assim, por muito, muito tempo.. Muita felicidade pra você e pra sua família :)

Anônimo disse...

Amei o texto, realmente um linda história de amor! :) Cuida bem deles, porque infelizmente nao os temos durante nossa vida toda. Posso dizer com toda a certeza do universo que agora longe dos meu dois avôs, que nao ha sequer um dia em que eu nao peça para ter eles de novo. Eu sei que agora eles estao bem, nao mereciam sofrem o que sofreram, mas a saudade é inevitavel!

Ps: meus avôs faleceram os dois de cancer, com nem 4 meses de diferença.

Adoro os seus vídeos, beijos @vmulbert

Pin disse...

Eu juro que eu chorei muito

disse...

Ferdi, fazia tempo que eu não passava aqui.
Ler esse texto foi lindo, lindo mesmo. Não vou conseguir pôr em palavras a sensação...
Reforçou algo em que sempre acreditei: o Amor Verdadeiro.
E em vários momentos do texto pensei:
Eu chego lá...
Eu chego lá...
Eu chego lá...

Elizabeth Rigueira (vlog aleatoriamentefalamd) disse...

Cara, chorei muito lendo! Que lindo seus avós, seu avô é a pessoa mais fofa que eu já "conheci".

● allan dias disse...

Morei com meus avós, 2 tios e minha tia, dos 7 aos 19 anos, tem mais de 2 anos que moro sozinho. Meu avô teve Alzheimer, mas já faleceu, só me lembro do estagio final, e quase não tenho boas recordações dessa parte. Obrigado Ferdi, por compartilhar essa história, é sempre ótimo ver que com amor tudo é sincero e belo.

anach disse...

Ferdi,sem palavras,que amor lindo. Chorando aqui... obrigada por compartilhar um pouco dessa historia linda que existe na sua família :')

Fabi Penco disse...

Uou, não consegui ler até o fim sem não me emocionar e não derramar uma lágrima. Realmente é uma grande prova de o amor verdadeiro existe. Parabéns pro seu avô e toda a família que apoia. Vi de perto alguém morrer aos poucos com essa doença e é triste mesmo, mas nada que um amor como o de seu avô para jogar de lado a tristeza.

Fazia tempos que eu não vinha aqui, que foi um dos primeiros blogs que eu segui quando criei meu blog que tinha o nome de Encanto e desencanto.
Bjão